A experiência de Bergamo PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Recuando ao ano de 1984, ano da fundação da Torcida Verde, as únicas referências conhecidas em Portugal, no que concerne ao apoio organizado de adeptos nos estádios reportava-se ao Brasil. Situação vincada pela legião de jogadores brasileiros que jogavam em Portugal.

Agregados em grupos potenciavam o apoio dos adeptos, uniformizando as energias de forma “organizada”, assumindo diversas designações, expressas em faixa, bandeiras e até no vestuário.

Neste contexto, o fenómeno das “Torcidas Brasileiras” era, no início dos anos 80, o expoente máximo do apoio organizado. É nesse contexto que a designação por nós escolhida, "Torcida Verde", surge.

Quando volvidos alguns anos, conhecemos a realidade italiana, o tal universo cresceu, ganhando uma outra dimensão.

Em Bergamo com o SCP

O primeiro contacto no terreno, ocorreu em Fevereiro de 1988, por ocasião da deslocação a Bergamo, onde se disputou a primeira-mão dos quartos de final da já extinta Taça das Taças, entre o SCP e a Atalanta, então a militar na série B.

Para além do fortíssimo dispositivo de segurança que nos acompanhou até ao Communale de Bergamo, algo que não estávamos habituados, onde não nos foi permitida a entrada de pequenas bandeiras de plástico para um improvisado tifo, vivemos o ambiente absolutamente fantástico que a "Curva Nord" interpretava, incendiando por diversas ocasiões todo o estádio.

Pela primeira vez presenciámos a atitude de toda uma curva, constituída por milhares de Ultras que de pé e ao longo de todo o jogo, nunca se cansaram de cantar pela "Magica Atalanta" e não poucas vezes saltaram em uníssono ao ritmo dos cânticos de incentivo.

Particularmente impressionante foi a apresentação na 2ª parte de uma mega bandeira que cobria totalmente a "Curva Nord".

Arrepiante será o termo mais adequado para definir a experiência vivida quando todo o estádio entoou durante largos minutos a popular canção Italiana "Volare".

No final do jogo, apesar de “escoltados” pelos carabinieri, fomos literalmente invadidos por dezenas de jovens ultras, sequiosos de trocarem material (cachecóis e bandeiras) connosco, o que sucedeu, esvaziando o stock de bandeiras da Torcida Verde, dando-nos uma ideia da dimensão do que era o movimento ultra.

A experiência de Bergamo, com a Atalanta na série B, numa cidade de província, fora brutal, imagine-se o que seria nas maiores cidades...

Diversos cachecóis, de diferentes modelos relativos à Atalanta, mas sobretudo aos seus grupos ultras, destacando-se os "BNA" e o "Total Kaos" na vanguarda da "Curva Nord", foram igualmente novidade para nós.

Este terá sido o primeiro passo na criação de uma Mentalidade Ultra Tor Ver.

Tags:
 

Fossa dei Leoni - Fortitudo

A edificação de um espaço dedicado à problemática que envolve os adeptos de todo o mundo, no sítio oficial da Torcida Verde será sempre um desafio por cumprir, dada a dimensão de um fenómeno com expressão planetária.

Neste espaço serão incluídos submenus que retratam os objectivos a que nos propomos: divulgação de notícias sobre as problemáticas relativas aos adeptos; tratamento mais aprofundado de temas tidos como relevantes; entrevistas dando voz a temas relevantes em discurso directo.

Aqui são protagonistas Grupos de Adeptos Organizados, ou quaisquer outros actores desta realidade.

 

Facebook Twitter YouTube Google+ RSS